alienation_comprar

Alienation: Comprar ou não comprar

Alienation lembra muito Dead Nation que foi lançado para PS3 e depois um remastered para PS4. A idéia do jogo é bem simples: matar hordas de alienígenas para salvar a Terra.

Diferentemente do Dead Nation, tu não compra novas peças de armaduras. Os itens que tu encontrará são via loot e apenas armas ou modificações para elas. Existem diversos níveis de armas: de comuns a lendárias. Essas últimas possuem diversos slots para equipar modificações, bem como habilidades especiais.

O jogo é bem fácil de jogar, usa o analógico esquerdo para mirar, o R2 para atirar L1 para correr e R1 para ataque corpo a corpo. Os gráficos são muito bons, tu tem disponível 3 classes de personagens e cada uma possui um sistema de evolução de habilidades ativas e passivas. Alienation fica mais interessante jogando multiplayer que tu poderá fazer com amigos ou outros players que estão jogando a mesma fase. Os mapas são enormes com muitas áreas para explorar.

Existem alguns pontos negativos: o primeiro é que facilmente tu ficará sem munição. Isso incomoda muito, pois não existe uma arma com munição infinita (que de menos dano, mas ajuda em momentos que tu está cercado). O segundo ponto é que o sistema de evolução de recursos é um pouco confuso, pois não deixa claro a quantidade de materiais para evoluir um item de modificação e esses itens, após equipados em uma arma, não podem ser removidos. Com isso, se tu reciclar a arma, perderá parte dos recursos de modificação.

Vale a pena a compra do jogo, pois está com um preço acessível e vai render boas horas de diversão matando hordas e pegando loot pra criar um personagem cada vez melhor. Fórmula clássica para manter os players jogando 🙂

Dica do Velho

Se tu quiser encontrar itens raros e lendários, repita a primeira fase no modo Veterano. A fase é mais fácil e tu ganhará itens correspondentes ao level do teu personagem.

Ah! Sempre bom ver o gameplay pra entender o jogo:

COMENTÁRIOS

Category: COMPRAR OU NÃO COMPRARPS4

Tags:

Deixe uma resposta